hoje é estranho que possa entender a tua ausência
como me sabe à dor dos homens que desconhecemos,
e até nas arestas brancas do nosso quarto eu te vejo
assim o condicional que preside à encadernação do amor
hoje é da cor do teu sol privativo um desvario alheio
nas formas que o teu perfume permuta e encerra
é estrangeiro o uso da palavra ortodoxa, insone
hoje sabe-me às tuas pernas constantes
às tuas costas sob as mãos que cultivo
hoje um tal ponto secreto
hoje os medos antigos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s